domingo, 7 de abril de 2013

Da Sabedoria Budista: as injúrias

 

Este texto, extraído do "Evangelho de Buda' está mais atual do que nunca. Deveria ser lido e refletido por muitos, independente de credo religioso, já que textos deste teor transcendem credos e nacionalidades.Deveriam, ainda, ser ofertados a estudantes de Direito e jornalistas. Quem sabe, com reflexões deste gênero, muitos males seriam evitados...

Observando os costumes humanos, o Senhor Buda viu que muitos males provinham da rapidez com que os vaidosos e egoístas criticavam nesciamente o próximo, e disse aos seus discípulos:
_ Se um néscio me ofendesse, lhe responderia com um cordial e sincero amor. Quanto maior mal me fizesse, maior bem eu lhe faria. O perfume da bondade estará sempre comigo, e o fétido alento do mal sopraria contra ele.
Sabendo um néscio que Buda pregava o mandamento do amor que prescreve restituir com bem o mal recebido, aproximou-se dele e injuriou-o gravemente.
Tornou a injuriá-lo, e quando já não encontrava palavras para ofendê-lo, o Buda perguntou-lhe:
_ Filho meu; se alguém recusa o presente que outro lhe oferece, para quem fica o presente?
O néscio respondeu:
- Para quem lhe ofereceu.
O Buda continuou:
_ Pois bem, meu filho: injuriaste-me e eu recuso tuas injúrias. Guarda-as para ti. Não serão para ti fonte do mal?
O néscio não soube o que responder, e o Senhor prosseguiu dizendo:
_ O malvado que injuria o virtuoso, assemelha-se ao que cospe ao céu, porém recebe no rosto o que cuspiu.
Aquele que calunia, assemelha-se a quem, com o vento contrário, tenta atirar um punhado de pó no rosto de outrem. O pó cega os olhos de quem o atirou. Ninguém pode ferir o virtuoso; sobre seu próprio autor recairá o mal que alguém lhe tentar fazer,
O ofensor afastou-se vagarosamente, envergonhado; porém, depois regressou arrependido e refugiou-se no Buda(1), no Dharma(2) e no Sangha(3).
 ___________________________________________________________

Notas da Milu

(1) Buda é o título dado, pela filosofia budista, àqueles que despertaram plenamente para a verdadeira natureza dos fenômenos e se puseram a divulgar tal descoberta aos demais seres.
 (2) Lei Natural" ou "Realidade". Seu significado no Budismo l, pode ser considerado como o "Caminho para a Verdade Superior".
(3) Uma Sangha é uma comunidade de amigos praticando o Dharma juntos de forma a fazer acontecer e manter a consciência. A essência da Sangha é consciência, entendimento, aceitação, harmonia e amor.

 Fontes:
Livro O Evangelho de Buda
Ed.Pensamento
http://www.viverconsciente.com/