terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Pensamentos Logosóficos

Começo justificando o post: não pertenço à Logosofia, não estou fazendo propaganda, mas ganhei um calendário da Fundação Logosófica e, confesso, me encantei com os pensamentos nele contidos. Se encaixam perfeitamente ao estado caótico do mundo moderno, com seres humanos indiferentes aos problemas que atingem a maioria; com falta de vontade política para resolver problemas cruciais para grande parte da população; com pessoas se deixando levar pela vaidade e, em nome de tal vaidade cometendo atos ignóbeis; seres intolerantes por toda parte; uma falta de gentileza e afabilidade, que tornam nosso mundo mais áspero e cruel; enfim, achei que cada máxima contida neste calendário  merecia ser repassada, na esperança de que os possíveis leitores do post refletissem sobre elas.Aposto que se nós as estivéssemos colocando em prática há mais tempo, Ruy Barbosa não teria se manifestado da forma cética como se manifestou:



De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.
Quem sabe o próprio Ruy, que não foi tão imune assim à maracutaias e gambiarras, teria  se poupado um pouco, tido mais ética e não praticado atos que favorecessem ou privilegiassem banqueiros e amigos, nos moldes do FHC. E Ruy fez isto (veja livro "Os Cabeças de Planilha", de Luís Nassif). Em 20 de janeiro de 1891, Rui Barbosa deixou o cargo de ministro da Fazenda, para dirigir companhias que haviam sido criadas durante o encilhamento e das quais era sócio junto ao Conselheiro Mayrink(um financista).

Agora, aos pensamentos sem mais delongas...

INCONSTÂNCIA X PERSEVERANÇA

"A Natureza e a própria vida nos dão um exemplo de perseverança, ao se realizarem ininterruptamente nelas os processos que fazem possível a existência universal humana".
INADAPTABILIDADE X ADAPTABILIDADE
"A adaptação é um poder consubstancial com a natureza física e psíquica do homem, que lhe permite suportar os maiores sofrimentos e incômodos sem perder as prerrogativas de seu gênero"
VERBORRAGIA X CONCISÃO
"As palavras não devem ser esbanjadas, porque podem faltar quando for necessário que seu peso influa em alguma circunstância decisiva da vida".

CURIOSIDADE X CIRCUNSPEÇÃO
"A circunspeção consiste em passar do superficial ao profundo das coisas, do intranscendente ao importante e transcendente, da curiosidade ao interesse que o fim procurado justifica".

DESOBEDIÊNCIA X OBEDIÊNCIA
"O acatamento inteligente do indivíduo a normas, regras, deveres e leis contribui para estabilizar a harmonia na convivência humana".

INDISCRIÇÃO X DISCRIÇÃO
"A discrição é a chave de segurança que fecha a porta das confidências mais doces e sensíveis, só pronunciadas dentro de nós mesmos".
ASPEREZA X AFABILIDADE
"A afabilidade é o mel que, derramado sobre o vinagre psicológico, melhora seu sabor".
INTOLERÂNCIA X TOLERÂNCIA

"A tolerância termina quando começa o abuso".
VAIDADE X MODÉSTIA
"A modéstia é virtude que surge espontânea da alma, permitindo que as pessoas se sintam cômodas e seguras, seja qual for o lugar onde se encontrem".
INDIFERENÇA X INTERESSE
"A vida não  deve ser indiferente a nada. A morte, sim, é indiferente a tudo".
FALTA DE VONTADE X DECISÃO
"Vontade é a força psíquica que move as energias humanas e põe em atividade as determinações da inteligência para o bem, defesa e superação do indivíduo".
"Desde que o homem começou a ter as primeiras noções de moral, vem-lhe sendo repetido que deve ser bom, que deve elevar sua vida e ser melhor. Entretanto, foi-lhe ensinado positivamente como fazer para alcançar semelhante desiderato? A resposta, por demais sugestiva, é oferecida pelo estado de incrível desorientação em que hoje ele se encontra. Não lhe foi ensinado como ser melhor".

A Trégua (Mario Benedetti)


Acabo de adquirir este livro, o que me impede de deixar, aqui, meus comentários a respeito, me utilizando, portanto, para o post de hoje, do conteúdo de suas orelhas e contracapa . Pelo que vi e ouvi a respeito, o livro promete.
Publicado em 1960, este é o mais famoso romance do uruguaio Mário Benedetti e uma das obras mais importantes da literatura latino-americana contemporânea. Escrito em formato de diário, com um texto incisivo, muitas vezes irônico, o livro conta a história de Martín Santomé,' um homem maduro, de muita bondade, meio apagado, mas inteligente'. Prestes a completar 50 anos, viúvo há mais de vinte, Santomé mora com os três filhos. Não se relaciona bem com nenhum deles, tem poucos amigos e mantém uma rotina cinzenta, sem sobressaltos. No diário, conta os dias que faltam para a aposentadoria: ele espera que, assim que se livrar das obrigações, sua vida mudará completamente, mesmo sem ter ideia do que fará  depois que não tiver mais seu trabalho.
Seu destino, no entanto, mudará quando conhecer Laura Avellaneda, uma jovem discreta e tímida contratada para ser sua subalterna. Com ela, Martín Santomé voltará a conhecer o amor, numa luminosa trégua para uma vida até então taciturna e opaca. Inicialmente, ele reluta em se envolver com ela, temendo o que os outros irão pensar e acreditando estar muito velho para um novo relacionamento. Mas não resiste... Será que esta relação irá adiante?

"A Trégua é muito mais do que uma história de amor. É um belíssimo questionamento  sobre a felicidade  e um retrato, as vezes bem humorado, as vezes ferino, dos difíceis relacionamentos humanos."
Algumas palavras sobre o autor:


Foto extraída da contracapa do livro Perplejidades de fin de sieglo

Benedetti nasceu em Paso de los Toros, 14 de setembro de 1920 , tendo vivido até 17 de maio de 2009, quando faleceu em Montevidéu. Foi poeta, escritor e ensaísta, sendo considerado um dos principais escritores uruguaios. Iniciou a carreira literária em 1949. 
 Entre 1938 e 1945 morou em Buenos Aires. Ao retornar a seu país publica seu primeiro livro de poesias - "La Víspera Indeleble".
Começa a aparecer em 1956, ao publicar "Poemas de Oficina", uma de suas obras mais conhecidas, mas a consagração veio mesmo foi em 1959, com a publicação do livro de contos "Montevideanos". No ano seguinte lançou "A trégua", que lhe rendeu fama internacional.

Por questões políticas, abandonou o Uruguai em 1973, ficando exilado por 12 anos, período em que morou na Argentina, em Cuba, Peru e na Espanha.

Ninguém melhor para falar sobre este autor do que ele próprio: veja o vídeo de Benedetti entrevistado pela Telesur. e você saberá um pouco mais de sua biografia.


Para ver mais, clique aqui: Telesur

Mais uma entrevista do autor, na TV argentina:
 

Finalizo com um programa da RTVE, " Em Memoria de Mario Benedetti:





Depois deste "aperitivo", mãos a obra: parto para a leitura do livro, publicado pela Ed.Alfaguara, custando cerca de R$ 40,00 (busque no Bondfaro, que você vai encontrar preços mais em conta).

Fontes: www.youtube.com